Direção abandona assembleia e a base se organiza

10409456_661059793975248_8793448582060055683_n Na última assembleia do SEPE, um acontecimento marcou a todas e todos que estavam presentes. Após ser aprovada a proposta encaminhada pela base da categoria de se criar um Comitê de Mobilização (eleito nas assembleias regionais com membros da base e da direção) para articular a resistência contra as demissões e descontos que tem atacado os trabalhadores da educação, a direção do SEPE encerrou a assembleia e se retirou do local. Revoltada, mais da metade da categoria permaneceu no lugar e deu prosseguimento à assembleia. Mesmo sem microfone, retirado pela direção, as trabalhadoras e trabalhadores conversaram e decidiram pôr em prática o que foi decidido em assembleia, antes do golpe. Se organizaram em núcleos por regionais, pensaram formas de luta e puxaram uma plenária do Comitê de Mobilização para o próximo sábado, às 14, em local a se definir.
Mesmo com todas as dificuldades, com uma greve encerrada num golpe e com todos os ataques dos governos, estamos vivendo um momento de amadurecimento e mudanças na luta das educadoras e educadores. Cada vez mais a categoria exige seu direito de decidir, de participar, de lutar, combatendo as formas hierárquicas e burocráticas do sindicalismo de estado. Fica claro para todas aquelas e aqueles que estão no chão da escola, que não tem privilégios e conchavos com ninguém, que estão descontados, perseguidos, ameaçados, que não se pode delegar o poder ao outro e que para termos uma luta forte é necessário garantir e construir formas de poder que fortaleçam o coletivo, a coletividade, que afirmem o poder popular.

Foto: Anderson Freitas

Teleférico para quem? Panfletagem na Providência/central quinta às 17h.

DSC_0278 Nesta quarta-feira, dia 02/7, a prefeitura inaugurou o Teleférico da Providência. Uma festa eleitoral, debochando dos bilhões gastos com o dinheiro do povo, foi montada, enquanto a comunidade continua enfrentando problemas sérios como falta de escola e hospitais, falta d´água, esgoto na rua, remoção dos camelôs e moradias, entre outras coisas. Nesse sentido, o Pré-Vestibular Comunitário Machado de Assis, do GEP, fará uma panfletagem amanhã para iniciar um diálogo com as pessoas que trabalham e moram na área da Central e debater as contradições presentes na inauguração do teleférico e o que ele traz consigo.

Ponto de encontro: 17hrs na clínica da família, que funciona na base do teleférico da Gamboa, logo na saída do túnel de quem vem da Central.

Convidamos, especialmente, moradoras e moradores da região portuária e do Morro da Providência. Vamos apresentar nossas reais necessidades: moradia, saúde, educação, emprego, liberdade.

Um golpe não derruba nossos sonhos! Parabéns à heroica greve da educação

Imagem

 O dia 27 de Junho está marcado pelo golpe cometido contra a greve da educação do Rio de 2014. Na assembleia que deveria acontecer no dia 3, mas que foi antecipada por uma burocracia sindical suja que utiliza dos métodos do Estado para impor suas vontades, o SEPE aprovou por 41 votos de diferença (601 a 560) o encerramento da greve unificada das redes municipal e estadual do Rio. Uma greve heroica e combativa que reuniu centenas de trabalhadores da educação, alunos, pais e responsáveis na luta por uma educação a serviço do povo. Enfrentamos não apenas a dura repressão da polícia, que prendeu professores, espancou e agrediu as educadoras e educadores em luta. Tivemos que enfrentar também o boicote de uma direção sindical que quando ameaçada por um novo pensamento e novas práticas não hesita em combater a luta e defender o governo. Desde o início desta greve, no dia 12 de Maio, enfrentamos o boicote à greve, a criminalização dos atos e da indignação da nossa classe, a perseguição ao comando de greve, os rodos e manobras em assembleias, tudo aquilo que já faz parte do corpo e da alma dos partidos institucionalizados capitalizados pelo Estado e sua falsa democracia. Mas, o que guardaremos para sempre desta experiência, não será a imagem dos oportunistas. São os rostos de quem lutou todos os dias, de quem viveu esta greve, de quem se organizou nas escolas, de quem soltou os companheiros na delegacia, de quem parou por diversas vezes a cidade, de quem não deixou e nem deixará qualquer camarada para trás. Estas imagens estão eternizadas na nossa memória.

Parabéns às lutadoras e lutadores que fizeram e defenderam essa greve. Agora é nos organizar para derrubar os processos de demissão e todos os descontos que estão colocando nossa categoria diante da fome e do medo.

A luta continua. Ela está apenas começando.

V Plenária aberta de greve do GEP

Imagem Ameaças de demissão. Camaradas presos, arrastados. Bombas e cacetetes sobre a educação. Estamos em tempos de luta e de combate! Poderia parecer um massacre, por parte do Estado, ao citar tudo isso, mas não é. NÃO É. E por que não é? Porque há resistência, porque há luta, porque há solidariedade de classe e das ruas não saímos e não sairemos até a vitória, até caírem todos os processos de demissão, até conquistarmos a negociação e os 20%.
Ninguém nos derrubou!
Não há férias e recesso pra quem luta!
Para continuar organizando a luta pela base, com participação das comunidades e dos alunos, com ação direta, democracia, convidamos todas e todos que só confiam na luta do povo para nossa V Plenária aberta do GEP, dia 25, às 17h no IFCS.
Desde a nossa I Plenária aberta demarcamos a nossa linha de atuação e continuamos coerentes com ela:
1) Envolver o povo na greve com as comunidades escolares
2) defender a ação direta e o direito à revolta contra a injustiça.

Foram muitas atividades! TRABALHO DE BASE que a direção do sindicato não faz! Atos e assembleias populares de greve em Xerém, Maré, Providência, Central, São João de Meriti, Niterói, Maricá, entre muitos outros locais e escolas.
Resistência em todos os fronts de luta. Nenhuma esperança no Estado burguês.

Foi esta a nossa linha desde o princípio da greve e na próxima plenária iremos fortalecê-la e manter a chama da rebeldia que marca nossa greve e nossa luta.

Ato em Meriti – Greve dxs alunxs e dxs professorxs- 23/05

Alunos meritienses protestando em frente ao C. E. Pedro Alvares Cabral, maus uma escola ameaçada de fechamento pela política de “otimização” da SEEDUC.

23 de maio6

 

Alunos meritienses protestando em frente a empresa Flores, do Grupo Jal, que nega cotidianamente o passe livre dos alunos.

23 de maio4jpg

 

O aluno diz!

23 de maio5jpg

Meriti finaliza o ato da educação na Praça da Matriz. Demos uma aula de cidadania e não nos calamos frente a repressão da Guarda Municipal.

23 de maio2

 

Informes e atividades – GEP ed.publica

Repassamos alguns informes e atividades relacionadas ao GEP ed.publica esta semana.

1) no 20/05 aconteceu o ato nas escolas estaduais de sao joao. Foi mt bom e teve mt participação de alunxs. Alguns foram pro ifcs e participaram da plenaria de greve do gep. Tb aconteceu a panfletagem na maré q tb foi mt boa.

2) no 21/05, as 7h, terá um ato de alunxs e educadorxs do colégio antonio houaiss, no meier.
Tb acontecerá uma assembleia de alunxs e depois de professorxs no colegio Prado Junior, na pça da bandeira. O pessoal da FLE (frente livre estudantil, q está participando das nossas plenárias) estará presente

3) Amanha alguns compas do gep participarão da assembleia de greve dxs rodoviárixs como forma de apoio e solidariedade.

4)Na quarta-feira, às 17h30, terá a assembleia popular de Xerém, na praça de xerém.

5)nesta quarta haverá tb o ato unificado das categorias em greve. Ainda saberemos do local e horário.

6) Quinta-feira, às 11h, terá a assembleia da educação e um ato após no palácio guanabara.

7) Sexta-feira, as 7h, terá um ato no colegio estadual Murilo Braga, em sao joao, e às 12h uma panfletagem na providencia e área portuária.

8) nesta sexta tb terá um ato no colégio brigadeiro …, às 7h, na taquara, onde duas companheiras sofreram perseguições e foram vítimas de mentiras e constrangimentos.

8) Todos os dias terao passagens em escolas e atividades em diversos bairros, regiões e cidades.

GEP UERJ, por uma Universidade Popular. A Universidade tem que ser de quem a con…

GEP UERJ, por uma Universidade Popular.

A Universidade tem que ser de quem a constrói.
Poder para a base e educação libertária para a revolta!

https://fbcdn-sphotos-b-a.akamaihd.net/hphotos-ak-ash4/t1.0-9/p100x100/10152482_1478147715732361_664402335_n.jpg

Grupo de Educação Popular GEP UERJ
Imagens do debate após a exibição lotada do filme do GEP sobre a vida e luta das mulheres, na UERJ, com a presença dos alunos da escola Prado Júnior. O evento foi dedicado à memória de Cláudia Silva Ferreira.