Todo o apoio dos Grandes Pajés, guerreiros de nossa ameríndia terra ancestral

Por Santuário dos Pajés

A Comunidade Indígena Tapuya da Terra Indígena Santuário Sagrado dos Pajés em Brasília e a Associação Cultural Povos Indígenas (ACPI) do Santuário dos Pajés repudia o atentado sofrido pelos nossos irmãos indígenas no Museu do Índio no Maracanã, Rio de Janeiro, na madrugada desse sábado dia 19 de dezembro e nos solidarizamos com a luta de resistência do Movimento Tamoio em defesa desse Patrimônio Indígena na nossa eterna capital Tupinambá. A reocupação Tribal do espaço do Museu do Índio no Maracanã e sua destinação indígena para fortalecer os laços de identidade indígena e étnica e a valorização de nossa Tradição e Cultura pelo próprio movimento indígena autônomo e tribal é um grande exemplo do Altaneiro Espírito das Sementes Ancestrais de nossos maiores guerreiros e guerreiras, uma luz que desperta nossa profunda ligação com essa terra. Todo a moléstia anti-indígena que asssola o Brasil procurou destruir sistematicamente nossos territórios, nossa tradição, cultura e a desindianização de nossa alma ancestral sustentado com o apoio patrimonialista do Estado brasileiro e com o racismo da subcultura colonial ocidental lusobrasileira em terras ameríndias, deve ser denunciado e combatido com a força de nossa Tradição Viva e o amparo da Constituição Federal que lutamos para conquistar a duras penas. É fato sabido que os maiores golpes e ataques aos povos e comunidades indígenas e suas terras ocorrem justo no período entre dezembro e fevereiro, período que se encontram em recesso as autoridades e os poderes públicos. Não é de estranhar essa sistematicidade de violações aos povos indígenas nesse período em que a “cultura do papai noel” está envenenada e embriagada com o glamour do consumo que esses ataques ocorram contra nosso patrimônio indígena. Fiquemos atentos e em alerta em todos os espaços indígenas, terras, territórios e locais de destinação indígena, pois a insana “tradição” lusobrasileira vive de queimar índios, malocas, tribos e aldeias durante esses 510 anos de invasão. Não esqueçamos de nosso parente Galdino Pataxó que foi vitimado por incêndio criminoso na capital do Brasil. E nosso cacique Kachaipina Korubo que está a 8 meses desaparecido do Santuário dos Pajés depois de sistemáticas ameaças de morte e perseguição por lutar pela terra e a biodiversidade tribal. Todo o apoio dos Grandes Pajés, guerreiros de nossa ameríndia terra ancestral! E já basta de especuladores corruptos que visam construir shoppings e bairros burgueses e o império da destruição, da ignorância e da exploração!

Que a Justiça Iluminada do Grande Espírito Tupã, Maíre Moñan, Grande Sol da linha da Justiça, da Verdade e da Imortalidade do Espírito Índio proteja nossos irmãos do Museu do Índio dando força e paz. O Santuário dos Pajés está de pé também nessa luta por Autonomia e Terra e Liberdade aos nossos povos históricos originários com nossos irmãos do Museu do Índio no Maracanã. O Museu do Índio do Maracanã Não Se Move!! O Santuário dos Pajés Não Se Move!! Demarcação Já: Santuário dos Pajés!! Aya Aya!! Cauiré Imana!!

http://www.santuariodospajes.org

Encontro de apoio ao Instituto Tamoio dos povos originários

casa

A ocupação Indígena do Maracanã – Instituto Tamoio – vem sofrendo fortes ameaças no país do futebol. Com o advento da Copa de 2014 e das Olímpiadas de 2016, o governo do Estado juntamente com a Prefeitura do Rio de Janeiro pensaram em destinar aquela área para a construção de um estacionamento. A resistência dos indígenas, que começou em 2006 com a Ocupação do espaço por 17 etnias que reivindicam o local – antigo Museu do Índio – já realizou a construção de uma Oca para danças e rituais e uma casa de tratamento, aonde atualmente mora a pajé fulni-ô Niara do Sol. Já existe no local uma pequena horta de plantas medicinais e alguns pés de mandioca, mamão e guando. No entanto precisamos fortalecer a resistência no local levando grupos que participem de atividades de manejo para a construção de uma horta agroecológica e um banco de sementes criolas.

indioO espaço da Ocupação se restringe somente a área onde está localizada o prédio principal. O resto do terreno, que também faz parte do antigo Museu do Índio, foi tomado pelo Ministério da Agricultura que possui no local um Laboratório de Sementes que atua nas áres de Segurança Alimentar e Saúde Vegetal e Animal, ou seja, é um ponto estratégico para a discussão do modelo Agropecuário que está na pauta do governo. Convidamos a todos os interessado para um primeiro encontro que faremos este domingo, 25 de outubro, às 8 horas na Ocupação, onde discutiremos o projeto, as ameaças que vem sofrendo e as formas de resistência e de solidariedade a serem desenvolvidas. Compartilharemos um café da manhã durante o qual será apresentado as questões envolvidas, seguido de um mutirão de limpeza e reconhecimento do terreno.

Tragam algum alimento para compartilharmos nesse bate-papo.

indígena e jesuíta

De todos os caminhos da vida há um que importa mais: é o caminho que nos leva ao verdadeiro ser humano. Cultura Moicana